ENVIAR A UMA AMIGO

X

EDP Renováveis: crescimento financeiro e operacional consistente durante o primeiro semestre de 2010

EDP Renováveis: crescimento financeiro e operacional consistente durante o primeiro semestre de 2010

A EDP Renováveis (Euronext: EDPR), líder mundial no sector das energias renováveis é o terceiro maior produtor de energia eólica do mundo, revela que o resultado bruto entre Janeiro e Junho de 2010 cresceu 30% para 462 milhões de euros, enquanto o EBITDA registou um crescimento de 27% para os 343 milhões de euros, com uma margem de EBITDA de 74%. Durante este período, a empresa registou um resultado líquido de 43 milhões de euros.

O resultado bruto total alcançou 462 milhões de euros e subiu 30% em comparação com o primeiro semestre do ano passado, motivado pelo crescimento da produção, principalmente na Europa. Desta forma, a EDP Renováveis registou no primeiro semestre um aumento do resultado bruto de 75 milhões de euros na europa e de 31 milhões de euros nos Estados Unidos. Estes valores reflectem-se no EBITDA registado pela empresa, que teve um aumento 60 milhões de euros na Europa, enquanto o mercado norte-americano registou 15 milhões de euros.

Durante este período, a empresa investiu um total de 834 milhões de euros. A EDPR tem, actualmente, 1.317 MW em construção, dos quais 509 se encontram nos Estados Unidos e 466 na Península Ibérica. Uma parte considerável do investimento tem sido direccionada para a Europa Central e de Leste, especialmente na Roménia. Neste mercado, no qual a EDP Renováveis detém actualmente 613 MW em carteira e 228 em construção, acaba de ser aprovada uma nova legislação que, entre outros aspectos, visa aumentar a percentagem de produção energética com origem em fontes renováveis por forma a atingir uma quota de 20% em 2020. A EDPR demonstra uma vez mais o seu compromisso em continuar a investir em regiões diversificadas, que sejam atractivas.

O aumento homólogo da capacidade instalada, que representou 1.033 MW, foi a chave para o crescimento da producção (32%), que atingiu os 6.940 GWh. Desta forma, durante este semestre somaram-se mais 216 MW, dos quais 125 MW correspondem à Europa e 92 MW aos Estados Unidos. No fim do semestre, a EDP Renováveis detinha 1,3 GW em construção, dos quais 740 MW se localizavam na Europa, 509 MW nos Estados Unidos e 70 MW no Brasil.

A descida do load factor nos Estados Unidos foi compensada pelo aumento na Europa, que passou de 25% no primeiro semestre do ano anterior para 29% nos últimos seis meses. Desta forma, o load factor total da EDP Renováveis mantém-se estável em 31%, um indicador que se situa acima da média do sector.

A EDP Renováveis continua a gerir de forma bem sucedida a sua carteira de projectos, baseando a gestão no controlo da exposição à volatilidade do mercado eléctrico. Assim, 81% da electricidade vendida entre Janeiro e Junho de 2010 não se encontrava sujeita ao risco (ou com risco limitado) da volatilidade do mercado e o preço médio de venda situou-se nos 59€/MWh (84€/MWh na Europa e US$49/MWh nos Estados Unidos). A rentabilidade média da carteira permaneceu estável mesmo numa conjuntura difícil de preços, especialmente em Espanha, que foi mitigada em parte pela estratégia de coberturas.

Destaques do semestre

A empresa continuou, durante os primeiros seis meses do semestre de 2010, a apoiar-se na flexibilidade de produção como um recurso chave para a competitividade. Neste âmbito, assinou um acordo histórico, sem precedentes no sector, com o fornecedor de aerogeradores Vestas, que permitirá aumentar a sua competitividade e que irá dotar a empresa de flexibilidade para estar preparada para os diferentes cenários que o mercado possa apresentar após 2010.

A EDP Renováveis continua a optimizar a sua carteira de activos no que diz respeito a regiões e quadros regulatórios para conseguir o melhor equilíbrio possível entre a rentabilidade e o crescimento. Assim, entre os pontos fortes da empresa durante este período destaca-se a adjudicação por parte da Crown Estate, agência estatal de património britânica, de uma área para o desenvolvimento de parques eólicos marinhos no Estuário de Moray (Escócia) com uma capacidade instalada de cerca de 1,3 – 1,5 GW. Esta concessão é parte do concurso UK Round 3 e a EDP Renováveis sagrou-se concessionária através de uma sociedade na qual participa em 75%.

Na Europa continental destaca-se a compra de 520 MW em projectos de energia eólica em Itália e a venda dos certificados verdes gerados pelo seu parque eólico de Margonin de 120 MW na Polónia. Este último permite à empresa assegurar uma parte importante das suas receitas no mercado polaco. Em Espanha, o Governo da Cantábria adjudicou recentemente à EDP Renováveis uma potência máxima de 220 MW na zona A da área Campoo-Los Valles no concurso eólico levado a cabo pela região no princípio do ano. A empresa foi o maior adjudicatário. Nos Estados Unidos, por seu turno, a EDP Renováveis assinou um contrato de 20 anos para fornecer 115 MW de electricidade renovável eólica (PPA) à Tennessee Valley Authority (TVA), no âmbito da primeira fase de exploração do parque eólico Pioneer Prairie Wind Farm, no Estado do Iowa. De igual modo, a empresa recebeu um contrato da New York State Energy Research and Development Authority (NYSERDA) em associação com a Public Service Commission (PSC) do Estado de Nova Iorque para a venda, durante dez anos, dos créditos de energias renováveis pelo equivalente a 171 MW de capacidade resultantes do seu parque eólico Marble River, actualmente em fase de desenvolvimento e situado no condado de Clinton (Nova Iorque).