EDPR apresentou os resultados dos 9M17

edpr news

EDPR apresentou os resultados dos 9M17

Terça-feira 31, Outubro 2017

Resultados da EDP Renováveis para os primeiros nove meses de 2017: as receitas ascendem a 1.346 milhões de euros (um aumento de 11% comparativamente ao mesmo período do ano anterior) e o EBITDA situa-se nos 991 milhões de euros (+17% que em período homólogo)

Madrid, 31 de outubro de 2017: A EDP Renováveis (Euronext: EDPR), líder mundial no setor das energias renováveis e um dos maiores produtores mundiais de energia eólica, anunciou hoje os seus resultados para os primeiros nove meses de 2017.

A 30 de setembro, a empresa geria um portfólio de ativos com uma capacidade total de 10,7 GW distribuídos por dez países diferentes. Durante os últimos 12 meses, a EDPR acrescentou 917 MW à sua capacidade instalada, dos quais 627 MW se encontram nos Estados Unidos, 90 MW na Europa e 200 MW no México. No final de setembro de 2017, a EDPR contava com 675 MW em construção.

Entre janeiro e setembro de 2017, a empresa forneceu 19,8 TWh de eletricidade limpa, mais 10% que os 18,1 TWh contabilizados em igual período no exercício anterior.  O aumento da produção nos últimos 12 meses foi impulsionado principalmente por adições de capacidade, com recursos eólicos superiores, especialmente na América do Norte (+ 19%) e no Brasil (+ 28% que em igual período do ano anterior).

Resultados financeiros

A EDPR registou receitas totais no valor de 1.346 milhões de euros durante os primeiros nove meses de 2017 (+11% ano-a-ano), principalmente devido aos novos MW em serviço (+104 milhões de euros que em igual período do ano anterior), a um preço médio de venda mais elevado (subida de 31 milhões de euros face ao mesmo período em 2016) e um efeito cambial positivo (+5 milhões de euros em termos homólogos), juntamente com o impacto positivo do fator de carga.

O EBITDA subiu para 991 milhões de euros, um aumento de 17% relativamente ao mesmo período do exercício anterior, refletindo o crescimento das receitas e uma maior eficiência. O EBIT ascendeu a 606 milhões de euros (202 milhões de euros face a igual período do ano anterior), devido à diminuição dos custos por depreciações e amortizações.

O resultado líquido entre entre janeiro e setembro situou-se nos 165 milhões de euros, enquanto o resultado líquido ajustado cresceu 45% em relação a igual período de 2016, atingindo os 160 milhões de euros.

O fluxo de caixa acumulado nos primeiros nove meses de 2017 situou-se em 717 milhões de euros (um aumento de 41% em relação ao ano anterior e de 25% do ajustado por itens extraordinários durante o período).

Para consultar os documentos do 9M17, aceda aqui