ENVIAR A UMA AMIGO

X

O Conselho de Administração da AEE nomeou Rocío Sicre, a representante da EDPR, como presidente

O Conselho de Administração da AEE nomeou Rocío Sicre, a representante da EDPR, como presidente

O Conselho de Administração da Associação Empresarial Eólica (AEE), que se reuniu hoje em Madrid, nomeou Rocío Sicre como presidente, que até agora era vice-presidente da EDP Renováveis (EDPR). Entre outras tarefas, a recém-eleita presidente será responsável pelas negociações com o Governo relativamente ao novo quadro de regulamentação para o sector da energia eólica.

Licenciada em Ciências Económicas e Estudos Empresariais pelo Colégio Universitário de Estudos Financeiros (CUNEF), toda a carreira de Rocío Sicre se centrou nas energias renováveis. Inicialmente trabalhou para a antiga Unión Fenosa Energías Especiales, desempenhando vários cargos no sector jurídico e financeiro até se tornar na directora financeira em 2001. Depois disso, passou a ser a directora financeira do Grupo Hidrocantábrico (agora, parte da EDP). Desde que integrou este grupo, Sicre chefiou o departamento financeiro da EDPR Europa até ser nomeada Directora-Geral da EDPR Espanha em 2008, um cargo que continua a desempenhar até hoje.

A EDPR, uma subsidiária de energias renováveis da EDP, presente em 11 países, é uma das maiores promotoras do sector da energia eólica em Espanha com quase 2500 MW. Várias empresas que fazem parte do grupo foram membros fundadores da AEE.

Rocío Sicre afirmou que a primeira tarefa que pretende efectuar consiste em “disponibilizar a AEE para conversações com o Governo e iniciar negociações relativamente ao novo quadro de regulamentação, que possui uma importância fundamental para o futuro deste sector industrial. A Associação está preparada e disponível para trabalhar com o Executivo para encontrar a melhor solução possível, não só para Espanha e para a economia espanhola, mas também para sustentar o sector industrial”.

Com 220 empresas membro, a AEE representa mais de 90% do sector da energia eólica em Espanha e a sua missão consiste em defender os interesses dos seus membros. Em 2012, a Associação comemora o seu décimo aniversário, coincidindo com o último ano de validade do Decreto Real 661/2007, o quadro que regula actualmente o sector industrial. É por esse motivo que é tão urgente encontrar formas de iniciar o diálogo com o Executivo e chegar a um acordo relativo à nova regulamentação para que beneficie a Espanha e a sua economia, garantindo ao mesmo tempo o futuro do sector industrial.