ENVIAR A UMA AMIGO

X

Parque Eólico de Carondio

Parque Eólico de Carondio

Parque Eólico de Carondio: um modelo de respeito pelo meio ambiente, pela arqueologia e pelas comunidades locais

O parque eólico de Carondio, em Pola de Allande (Astúrias), conta com 50 megawatts já operacionais que elevam a capacidade de produção eólica das Astúrias para mais de 400 MW, o que equivale ao consumo eléctrico de mais de 400.000 casas. O de Carondio é o décimo quinto parque eólico que faz rodar as suas pás nas Astúrias.

Embora as obras tenham sido iniciadas em Novembro de 2009, foi em Junho de 2012 que se conseguiu a acta de colocação em funcionamento do último aerogerador do parque eólico de Carondio. Este parque já começou a ser um paradigma do respeito pelas localidades da zona e pelo meio ambiente, dado que foi construído fazendo subir as pás de helicóptero, facto que reduz consideravelmente o impacto ambiental e os incómodos ocasionados às populações locais em comparação com o transporte tradicional de pás com um camião, que teria obrigado à execução de obras de grande envergadura.

è A inovação e o cuidado com o meio ambiente e os restos arqueológicos, são os protagonistas do novo parque eólico de Carondio

As pás individuais foram armazenadas num ermo próximo da localidade de Navia, que se encontra a 23 km do parque eólico. O helicóptero, um Erickson S-64 concebido para o transporte de carga muito pesada, foi pilotado por especialistas norte-americanos e com as condições climáticas adequadas pôde transportar até um total de 18 pás por dia. O parque eólico de Carondio apresenta-se como o primeiro parque na Espanha e o segundo na Europa a utilizar este sistema de montagem inovador.

Além disso, foram cumpridos todos os protocolos ambientais e arqueológicos estabelecidos pela Administração. Mais concretamente, foram efectuadas as seguintes actuações:

·         Valorização dos bens inventariados na zona do parque:

Limpeza e acondicionamento periódico de todos os elementos arqueológicos catalogados na zona.

Escavações arqueológicas e datação das amostras recolhidas em tais escavações.

Restauração de troços de pistas florestais com afectação sobre a Carreiriega de los Gallegos.

Colocação de marcos, sinalização e cartazes explicativos.

·         Execução de um Plano de Restauração para se recuperar ambientalmente a zona.

Seguimento do plano de vigilância ambiental para se verificar o cumprimento dos requisitos traçados na Declaração de Impacto Ambiental, tanto na fase de obra como na fase de exploração. As partes fundamentais deste plano consistem em:

-Seguimento da avifauna e dos quirópteros.

-Estudos do ruído.

-Seguimento da evolução da restauração.

-Gestão de resíduos.

 

Graças a parques eólicos como o de Carondio, a Espanha é hoje em dia uma referência mundial na construção e desenvolvimento de parques eólicos.

Sobre os benefícios da energia eólica

A energia eólica não contamina, é inesgotável e trava o esgotamento dos combustíveis fósseis, contribuindo para evitar a mudança climática. É uma tecnologia de aproveitamento totalmente madura e regulada. Além disso, é uma das fontes mais económicas, podendo competir em rentabilidade com outras fontes energéticas tradicionais como as centrais térmicas de combustíveis fósseis (principalmente de carvão, considerado tradicionalmente como o combustível mais barato) e até mesmo com a energia nuclear, se os custos de reparação de danos ambientais forem tidos em consideração. Outra das vantagens das energias renováveis e dos parques eólicos está no facto de evitarem a dependência exterior. Desta forma, reduzem-se as perdas em transporte e garante-se um fornecimento próprio da energia. Além disso, garantem a segurança no abastecimento energético nacional e regional. Quanto à sua transformação em electricidade, esta é efectuada com um rendimento excelente e não através de aparelhos termodinâmicos com um rendimento de Carnot sempre reduzido. A geração de energia eléctrica, quando não existe um processo de combustão ou uma etapa de transformação térmica, representa, do ponto de vista ambiental, um procedimento muito favorável pelo facto de ser limpo, isento de problemas de contaminação, etc. Se forem radicalmente suprimidos os impactos originados pelos combustíveis durante a sua extracção, transformação, transporte e combustão, o que beneficia a atmosfera, o solo, a água, a fauna, a vegetação, etc., pelo facto de apresentar uma baixa incidência sobre as características físico-químicas do solo ou da sua erodibilidade, dado que não é produzido nenhum contaminante que incida sobre este meio, nem descargas ou movimentos de terras de grande envergadura. O parque eólico também não produz nenhum tipo de alteração dos aquíferos nem por consumo, nem por contaminação por resíduos ou descargas. Além disso, a geração de electricidade a partir do vento não produz gases tóxicos, nem contribui para o efeito de estufa, nem para as chuvas ácidas. Não origina produtos secundários perigosos nem resíduos contaminantes. Cada kWh de electricidade gerada por energia eólica em vez de carvão, evita:

? 0,60 Kg de CO2, dióxido de carbono

? 1,33 g de SO2, dióxido de enxofre

? 1,67 g de NOx, óxido de nitrogénio

Tudo o que precede produz, por sua vez, um efeito favorável sobre a fauna e a flora, pelo facto de ficarem diminuídos os efeitos da mudança climática, das chuvas ácidas e da emissão de contaminantes. A energia eólica e, por isso, os parques eólicos como o de Carondio, também apresentam benefícios sociais e económicos. De acordo com dados recolhidos na Associação de Produtores de Energias Renováveis (APPA) tais energias criam cinco vezes mais emprego do que as convencionais, o que representa um impacto positivo de magnitude significativa na socioeconomia local e nacional. Além disso, um parque eólico contribui para o aumento dos rendimentos municipais, induzindo um equilíbrio interterritorial, dado que tais infra-estruturas costumam ser instaladas em zonas rurais.

Por último, devem-se destacar as exigências e os objectivos estabelecidos na regulamentação, tanto estatal como europeia. Desta forma, a Comissão das Comunidades Europeias na sua comunicação “Eficiência energética: alcançar o objectivo de 20%” em 13/11/2008, estabelece a poupança de energia como a forma mais imediata e rentável que a UE tem para tratar as questões energéticas fundamentais da sustentabilidade e segurança do abastecimento e da competitividade, tal como estabelecido nos objectivos estratégicos da “política energética para Europa”. Os responsáveis da UE insistiram na necessidade de se aumentar a eficiência energética como parte dos objectivos “20-20-20” em 2020: reduzir em 20% o consumo de energia primária, redução vinculativa de 20% das emissões de gases com efeito de estufa e presença de 20% de energias renováveis em 2020. Tanto o objectivo das emissões de gases com efeito de estufa como o das energias renováveis implicam melhoramentos da eficiência energética e, inversamente, uma actuação ambiciosa na área da eficiência energética facilitará em grande medida a consecução dos objectivos europeus em relação ao clima, sobretudo no âmbito da Decisão sobre o esforço partilhado.