ENVIAR A UMA AMIGO

X

Resultados da EDP Renováveis em 2013: receitas sobem 6% em termos homólogos para 1.356 milhões de euros; lucro líquido aumenta 7% em termos homólogos para 135 milhões de euros

Resultados da EDP Renováveis em 2013: receitas sobem 6% em termos homólogos para 1.356 milhões de euros; lucro líquido aumenta 7% em termos homólogos para 135 milhões de euros

A empresa propõe a distribuição de dividendos de 0,04 euros por ação (pagamento de 26%)

A EDP Renováveis (Euronext: EDPR), líder global no setor de energias renováveis e o terceiro maior produtor mundial de energia eólica, anunciou hoje que a sua produção de eletricidade aumentou 8%, para 19,9 TWh, em 2013. Durante os últimos 12 meses, a empresa aumentou a sua capacidade instalada em 502 MW para um total de 8,5 GW. Em 2013, a EDPR manteve um índice de produção média (load factor) histórico de 30% a nível de todo o sistema, um dos mais elevados do setor, o que, conjuntamente com a disponibilidade técnica da sua carteira de 97,7% confirma a qualidade dos seus ativos e uma maior rentabilidade. Por mercados geográficos, os índices de produção media (load factors) atingiram 28% na Europa, 32% nos E.U.A. e 31% no Brasil.

No ano fiscal de 2013, as receitas aumentaram 6%, para 1.356 milhões de euros, com base na qualidade dos ativos com os mais elevados índices de produção média (load factors) do mercado, um forte aumento da produção de eletricidade (8% em termos homólogos) e menor preço médio de venda (-2% em termos homólogos).

Apesar do impacto das alterações regulamentares em Espanha, a empresa registou um EBITDA muito resiliente, crescendo 1%, para 947 milhões de euros, em 2013. Por plataformas de negócio os principais contribuidores para o EBITDA foram os E.U.A. seguidos de Espanha e Portugal, o que evidencia um portfólio diversificado geograficamente.

O lucro líquido para o ano fiscal de 2013 foi de 135 milhões de euros, mais 7% que em 2012, e a EDPR propõe o pagamento de dividendos de 26%, ou seja, 0,04 euros por ação.

O cash flow operacional aumentou 5% em termos homólogos para 700 milhões de euros no ano fiscal de 2013, o que, uma vez mais, constitui prova da capacidade da EDPR para converter os resultados financeiros em geração de cash flow, particularmente relevante tendo em conta a idade do portfólio, que conta apenas com 4,7 anos. O cash flow operacional excede o Capex anual pelo segundo ano consecutivo (627 milhões de euros em 2013).

No final do exercício de 2013, a dívida líquida da EDPR tinha sido reduzida para 23 milhões de euros, e os encargos com juros tinham baixado 3%.

Em 2014, a EDPR irá centrar-se no crescimento seletivo com base na execução de projetos com acordos de compra de eletricidade (PPA – Power Purchase Agreements) nos E.U.A., a pedra angular do futuro desempenho da empresa e onde já assegurou +980 MW de PPAs rentáveis para o período 2014-16. A EDPR irá também iniciar os seus primeiros projetos de energia eólica e solar na Califórnia em 2014.

A Europa continuará a oferecer oportunidades de crescimento de baixo risco em Portugal (programa ENEOP), Itália, França e Polónia.

A estratégia global de crescimento da EDPR irá basear-se em três pilares: ativos de qualidade com rentabilidade elevada, crescimento seletivo e rentável, e modelo de autofinanciamento do negócio.

Acerca da EDP Renováveis (EDPR)

Com escritórios centrais em Madrid, a EDP Renováveis (Euronext: EDPR) é líder mundial do setor das energias renováveis e o terceiro maior produtor mundial de energia eólica. Com uma sólida carteira de projetos em desenvolvimento, ativos da mais alta qualidade e uma capacidade de exploração líder do mercado, a EDPR tem protagonizado um significativo desenvolvimento nos últimos anos e já está presente atualmente em 11 mercados internacionais (Bélgica, Brasil, Canadá, Espanha, Estados Unidos, França, Itália, Polónia, Portugal, Reino Unido e Roménia). A Energias de Portugal, SA (“EDP”), acionista maioritário da EDPR, é uma empresa de energia internacional, líder em criação de valor, inovação e sustentabilidade. A EDP é o maior grupo industrial português e a única empresa portuguesa que integra os índices de sustentabilidade Dow Jones Sustainibility Index (World e STOXX).