EDPR regista crescimento de 14% atingindo um lucro líquido de 313 milhões de €

edpr news

EDPR regista crescimento de 14% atingindo um lucro líquido de 313 milhões de €

Quarta-feira 27, Fevereiro 2019

A EDPR forneceu 27,6 TWh de eletricidade limpa, ou seja, mais 3% do que em igual período no ano anterior.

Madrid, 27 de fevereiro de 2019: A EDP Renováveis (Euronext: EDPR), líder mundial no sector das energias renováveis e uma das maiores produtoras de energia eólica do mundo, anunciou hoje os seus resultados anuais completos para 2018. A 31 de dezembro, a empresa geria um portefólio de ativos operacionais de 11,7 GW repartidos por 11 países diferentes, dos quais 11,3 GW estavam totalmente consolidados e 371 MW o estavam pelo método de equivalência patrimonial (participações no capital em Espanha e nos EUA). Em 2018, a EDPR acrescentou 826 MW à sua capacidade instalada, dos quais 478 MW na América do Norte, 211 MW na Europa e 137 MW no Brasil.

Entre janeiro e dezembro de 2018, a EDPR forneceu 28,4 TWh de eletricidade verde (+3% interanual), evitando 19,8 milhões de toneladas de emissões de CO2. Este aumento da produção beneficiou principalmente das novas capacidades adicionadas (+625 MW EBITDA interanual) com um fator de carga maior do que o esperado. O fator de carga alcançado em 2018 foi de 30% (-1pp interanual), o que representa 94% da média a longo prazo (P50 face a 98% em 2017). Nesse período, a EDPR manteve um elevado nível de disponibilidade técnica (97%), todavia inferior em base interanual (2017 a 97,8%), devido às condições meteorológicas adversas em determinadas regiões durante o primeiro trimestre e à manutenção adicional em parques eólicos específicos.

A EDPR registou lucros totais na ordem dos 1697 milhões de euros em 2018 (-7% interanual), principalmente em resultado de uma maior produção (+3% interanual; +38 milhões de euros interanual), de um preço de venda médio inferior (-9% interanual; -71 milhões de euros interanual), de um impacto negativo dos efeitos cambiais (-46 milhões de euros interanual), bem como do término das estruturas fiscais de capital específicas dos PTCs a 10 anos (-51 milhões de euros). Os lucros cifraram-se nos 1697 milhões de euros (-7% interanual). O EBITDA chegou aos 1300 milhões de euros (-5% interanual; -2% interanual excluindo efeitos cambiais), sendo afetado por descontinuidades ao nível das vendas, pelas taxas de câmbio e pelos fracos recursos eólicos.

Os encargos financeiros líquidos diminuíram para 220 milhões de euros (face a 302 milhões de euros em 2017; -82 milhões de euros interanual), refletindo a evolução interanual estável do custo da dívida dos juros líquidos (139 milhões de euros), diminuição das despesas de parcerias institucionais (81 milhões de euros; -8 milhões de euros interanual) e lucros da alienação de participações em projetos eólicos (87 milhões de euros).

A empresa registou lucros líquidos de 313 milhões de euros entre janeiro e dezembro de 2018 (+14% interanual). No período em análise, os interesses que não controlam situaram-se nos 159 milhões de euros, diminuindo 22 milhões de euros interanual em resultado de uma performance operacional ao nível das vendas.

João Manso Neto, CEO da EDPR, afirmou: «Os resultados apresentados hoje, que incluem um crescimento dos lucros líquido de 14%, refletem a sólida gestão financeira da empresa, que beneficiou de um desempenho interanual estável dos custos de juros líquidos, de uma redução das despesas com parcerias institucionais e lucros da alienação de participações em projetos offshore».

Em relação ao futuro crescimento da empresa, João Mando Neto acrescentou: «Estamos empenhados em continuar a fazer crescer a empresa através de modelos de gestão eficientes e da limitação de riscos, bem como da diversificação da nossa capacidade de gerar valor através dos mercados e da tecnologia».

O Conselho de Administração da EDPR irá propor uma distribuição de dividendos de 61,1 milhões de euros, o que equivale a 7 cêntimos por ação.